Breaking News

Error rendering macro 'rss' : java.io.IOException: Failed to recover from an exception: http://environmentalhealthnews.org/archives_rss.jsp?sm=&tn=1title%2Clede%2Cdescription%2Ctext%2Csubject%2Cpublishername%2Ccoverage%2Creporter&tv=toxicology&ss=1

Visão Geral


O clorofórmio (CHCl3), ou triclorometano, é um líquido que foi usado no passado como solvente na extração de gorduras, óleos, graxa e outros produtos. Também foi utilizado em removedores de manchas em lavagens à seco, em extintores de incêndio, como fumigante e anestésico. Hoje em dia é utilizado, em sua maior parte, para a síntese de outros produtos químicos como fluorocarbonetos, usado em propelentes e plásticos. Outro uso é como solvente de extração na indústria farmacêutica. É um possível carcinógeno.

Descrição Química


O clorofórmio é um líquido incolor e volátil, pouco solúvel em água, além de pouco inflamável em temperatura ambiente. Possui um odor característico, parecido com éter.

Clorofórmio como Anestésico


O clorofórmio foi descoberto em 1831 e foi um anestésico muito utilizado na época. Foi usado pela primeira vez por James Young Simpson, um professor de obstetrícia da Universidade de Edimburgo e doutor da rainha Vitória. Ele usou o químico pela primeira vez em si mesmo, em 4 de novembro de 1847, mas logo se tornou claro que a substância causava sérios efeitos colaterais levando, inclusive, a morte. Em 1864, vários estudos foram feitos na tentativa de determinar se afetava os sistemas respiratório e circulatório. Devido seus efeitos colaterais e o surgimento de anestésicos mais potentes e menos tóxicos, o clorofórmio caiu em desuso.

Efeitos na Saúde


O principal efeito do clorofórmio na saúde é a depressão do sistema nervoso, se inalado. A exposição crônica à substância é associada a efeitos no fígado, rins e sistema nervoso central. Existem poucas evidências que cause danos ao sistema reprodutor, embora a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC- link em inglês) tenha listado o químico como possível carcinógeno. [1]

No Brasil, o clorofórmio é um químico sujeito a controle especial de vendas, de acordo com a portaria 344/98 emitida pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Além disso é proibido seu uso em medicamentos. O clorofórmio foi muito usado em carnavais como loló, em mistura com éter, devido seu efeito entorpecente.

Precauções


É recomendado cuidado ao manusear clorofórmio devido sua volatilidade, que faz com que seja facilmente inalado. Deve-se prestar atenção a água contaminada, pois o triclorometano é um dos subprodutos obtidos, em baixa concentração, no tratamento de água com cloro.

Links Externos


Referências



Tradução realizada por: Ariel Moura Maia

Link para a página em inglês: Chloroform

  • No labels