Versions Compared

Key

  • This line was added.
  • This line was removed.
  • Formatting was changed.
Comment: First published version
Coming soon . . .
Wiki Markup
{authors}
Authors:
_Insert author name here_
{authors}

http://www.toxipedia.org/display/toxipedia/Carbaryl


Visão geral

...

O carbaril é um pesticida carbamato usado principalmente como inseticida, mas também como moluscicida e acaricida, usado principalmente em plantações, incluindo de soja, de milho e de cítricos. Assim como diversos outros inseticidas, o carbaril impacta negativamente inúmeros organismos aquáticos e representa uma ameaça a populações de insetos benéficos, como abelhas. Estudos demonstraram a habilidade de se bioacumular em aquáticos de fundo, tais como lagostins e caramujos.

Farmacologicamente, é um inibidor da colinesterase. Geralmente causa sintomas agudos, mas também pode causar efeitos mutagênicos em maiores exposições.


 

Informação física

Nome: Carbaril

Uso: insecticida

Fonte: sintética

Dose diária recomendada: nenhuma

Absorção: dérmica, ingestão

Indivíduos sensíveis: trabalhadores

 

Descrição Química

...

Image Added


O nome químico do carbaril é 1-naftil metilcarbamato. Descoberto em 1958 pela Union Carbide - empresa agora infame devido ao desastre ocorrido em 1984 em Bophal, na Índia (link em inglês) -, o carbaril é sintetizado através do tratamento de metil isocianato com 1-naftol, cujo produto resultante é um sólido, geralmente um cristal incolor, inodoro e solúvel em água; dependendo do processo de produção, os cristais podem adquirir uma tonalidade branca ou cinza.


Usos

...

Geralmente é vendido pelo nome comercial Sevin, mas também pode ser encontrado como Adios, Carbamec, Denapon, Hexavin e Panam. É usado principalmente como um inseticida em diversas plantações comerciais, incluindo milho, soja, algodão, cítricos, peras e nozes. Além de ser efetivo também como moluscicida e acaricida, o carbaril pode ser utilizado para tratar infestações, tais como as causadas por piolho no gado, em aves, animais de estimação e humanos.

No entanto, é utilizado em cenários além de terras agrícolas. É muito utilizado para jardins e quintais suburbanos e para crescer e manter árvores de sombra. Em cada um destes cenários, o químico é disponível de várias maneiras, sendo as mais comuns: iscas, pós, pós molháveis e grânulos.


Metabolismo

...

O carbaril afeta seus alvos tanto pela ingestão quanto pelo contato tópico. O produto é um inibidor da colinesterase, o que impede que a enzima colinesterase degrade a acetilcolina, levando eventualmente à interferência no sistema nervoso do hospedeiro. Apesar de ser tipicamente fatal em insetos, é desintoxicado, metabolizado e excretado em hospedeiros vertebrados, especialmente humanos e mamíferos. Em particular, não aparenta se concentrar em gorduras ou leites. Mamíferos que ingerem o carbaril metabolizam até 85% dentro de 24 horas.


Efeitos

...

Por ser um inibidor da colinesterase, tem sérios efeitos agudos em mamíferos, apesar de ser rapidamente processado. De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), a exposição ocupacional pode resultar em náusea, vômitos, visão embaçada, coma e dificuldade respiratória. Da mesma forma, testes de laboratório em camundongos, coelhos e porquinhos-da-índia indicam que o carbaril pode ter um impacto agudo severo em mamíferos. O

LD50 oral em ratos pode variar de 250mg/kg a 850mg/kg, e os valores dérmicos são similares.

Assim como outros mamíferos, os humanos são afetados através do contato com a pele, ingestão e inalação. Os sintomas agudos, dada uma exposição suficientemente grande, podem incluir também queimaduras, irritação e cólicas abdominais; no entanto, como visto acima, a severidade dos sintomas é dependente da via de transmissão (PAN). Conforme a Extension Toxicology Network (EXTOXNET), a única fatalidade humana por exposição direta ao carbaril foi devida à ingestão intencional.

Tendo como referência estes efeitos agudos, o carbaril é oficialmente considerado um Pesticida Moderadamente Perigoso de Tipo II. Da mesma forma, organizações e agências regulatórias como a EPA listam este produto como um possível carcinogênico, disruptor endócrino e tóxico para reprodução e desenvolvimento. Apesar de as evidências serem inconclusivas, já foram observados sintomas como dores de cabeça, perda de memória e enfraquecimento muscular, resultados de exposição prolongada a baixos níveis do tóxico, o que sugere um potencial químico para o desenvolvimento de efeitos crônicos.

Uma influência conclusiva da substância, no entanto, é sua habilidade de causar efeitos mutagênicos em alguns animais. Em estudos laboratoriais com ratos, o carbaril mostrou afetar a divisão e o crescimento celular. Há uma possibilidade de que este mesmo efeito possa ocorrer no estômago de humanos através da ingestão; entretanto, tal informação também não é conclusiva. Há também evidência de que o carbaril possivelmente afete o sistema imune de animais e insetos.


Regulação

...

O carbaril é caracterizado pela EPA como um Pesticida de Uso Geral; no entanto, é importante lembrar que sua severidade depende do modo que é produzido e da via de transmissão. A EXTOXNET lista o seguinte exemplo: “[o carbaril] Está categorizado na Classe de Toxicidade I – altamente tóxico para o Tercyl; Classe de Toxicidade II – moderadamente tóxico para o Servin 803; e Classe de Toxicidade III – levemente tóxico para outros produtos”.

Devido à sua natureza variável, todos os produtos que o contém em sua composição devem mostrar palavras-chave de precaução, tais como “Perigo”, “Veneno” e “Atenção”.


 

Efeitos ecológicos

 

Assim como outros inseticidas, possui alguns riscos ambientais e ecológicos, capazes de afetar os humanos tanto direta quanto indiretamente. O carbaril tem baixa persistência no solo, sendo rapidamente degradado por comunidades microbianas na superfície da água. No entanto, apresenta certa ameaça para organismos aquáticos; é tóxico para peixes, com LC50s variando entre 1 e 10mg/L. Como seu metabolismo para o carbaril é muito rápido, não é uma grande ameaça quanto à bioacumulação no ambiente aquático, mas alguns alimentadores de fundo, como o peixe-gato e o lagostim, podem acumulá-lo em seus tecidos.

 

Fora da água, é relativamente atóxico para a maior parte da vida animal; por exemplo, para pássaros. Contudo, por afetar insetos no geral, pode infligir danos em insetos benéficos, tais como abelhas e outros polinizadores.


 

Links externos

 

Carbaryl Pesticide Information Profile from EXTOXNET

 

 



 





References

...

Insert text here


Tradução: Ana Beatriz Gouveia