Breaking News

Error rendering macro 'rss' : java.io.IOException: Failed to recover from an exception: http://environmentalhealthnews.org/archives_rss.jsp?sm=&tn=1title%2Clede%2Cdescription%2Ctext%2Csubject%2Cpublishername%2Ccoverage%2Creporter&tv=toxicology&ss=1

Dissulfeto de Carbono

Visão Geral


O Dissulfeto de Carbono (CS₂) é um líquido incolor com um odor agradável semelhante ao Clorofórmio, embora seja geralmente encontrado como um amarelo impuro de odor desagradável como o de rabanetes podres devido a vestígios de outras espécies sulfurosas, como o sulfureto de carbonilo (COS).


É encontrado naturalmente em numerosos lugares, incluindo vulcões, pântanos, alcatrão e petróleo. Também pode ser composto sinteticamente.


O CS₂ possui muitas finalidades, é amplamente utilizado como um solvente industrial, inseticida para numerosas plantas e também como fumigante.

Fatos

         

Características físicas
Nome: dissulfeto de carbono
Uso: inseticida, solvente, fumigante
Fonte: natural e química sintética
Ingestão diária recomendada: nenhuma
Absorção: dermal, ingestão, inalação
Indivíduos afetados: trabalhadores
Toxicidade/sintomas: altamente tóxico
Fatos regulatórios:


Estrutura química


 

  

Estrutura retirada de Wikibooks

Descrição Química


O dissulfeto de carbono puro é um líquido incolor à temperatura ambiente com um odor "etéreo" (#INCHEM). Ele foi formalmente fabricado por reação direta de vapor de enxofre e coca em retortas de ferro ou aço a 750-1000 ° C, mas, desde o início dos anos 1950, o método preferido de síntese foi a reação catalisada entre enxofre e metano (# INCHEM). Essa substância é mais pesada do que a água e, portanto, afundará.

 

Encontra-se também naturalmente no alcatrão de carvão, no petróleo bruto, nos resíduos animais, nos vulcões e em outras fontes (#INCHEM).

Farmacologia e Metabolismo


 De #INCHEM:

 "Cerca de 70 a 90% do dissulfeto de carbono retido é metabolizado e excretado na urina. Esse sofre metabolismo hepático microssomal, com subsequente conjugação. Alguns dos metabólitos detectados na urina são a tiouréia (a mais importante) e a mercaptotiazolina e o ácido 2-mercapto-tiazolina-4-carbônico, mas parece haver uma má correlação entre a quantidade de metabólitos e o grau de exposição".

Usos


O dissulfeto de carbono é usado na indústria para inúmeras finalidades. É integrante da construção da seda, filme de celofane, tetracloreto de carbono, xantogenatos e tubo de vácuo eletrônico (#INCHEM). Também é usado como inseticida em grãos, frutas, em estoques de viveiro, entre outras vegetações, e também como fumigante em espaços de armazenamento herméticos (#INCHEM).

Efeitos na Saúde


Intoxicações por dissulfeto de carbono são raras, mas extremamente graves. Os efeitos tóxicos agudos incluem depressão do sistema nervoso central (uma vez que é um inibidor da Colinesterase), neuropatia periférica e colapso cardiovascular. Se a vítima foi exposta a quantidades abundantes de dissulfeto de carbono, em poucas horas, o paciente ficaria comatoso e morreria devido a convulsões e insuficiência respiratória (# INCHEM).

 

A exposição ocupacional crônica é mais comum e, após um período de exposição prolongada (10-15 anos), numerosos problemas podem acontecer. Aterosclerose, doença cardíaca, dano motor e neural, visão prejudicada, fadiga, distúrbios do sono e outros problemas podem ocorrer devido à exposição ao dissulfeto de carbono (#INCHEM).

 

Os dados sobre as suas propriedades cancerígenas e teratogênicas são inconclusivos.

Recursos de Ensino


No Brasil


O Ministro da Saúde, pela portaria Nº 1339, de 18 de novembro de 1999, cita o Dissulfeto de Carbono na lista de Doenças Relacionadas ao Trabalho, onde relaciona agentes ou fatores de risco de natureza ocupacional, com as respectivas doenças que podem ser causadas (MINISTÉRIO DA SAÚDE).

Links Externos


International Programme on Chemical Safety. Carbon Disulphide.

Referências


International Programme on Chemical Safety. Carbon Disulphide. Acessado em 03/05/07.

MINISTÉRIO DA SAÚDE acessado em 04/06/2017


Tradução realizada por: Natália Almeida

 

Link para a página em inglês: Carbon Disulphide

  • No labels