Breaking News

Error rendering macro 'rss' : java.io.IOException: Failed to recover from an exception: http://environmentalhealthnews.org/archives_rss.jsp?sm=&tn=1title%2Clede%2Cdescription%2Ctext%2Csubject%2Cpublishername%2Ccoverage%2Creporter&tv=toxicology&ss=1

Desodorizadores

 

Visão geral


Desodorizadores são produtos comumente vendidos, usados em casas e empresas para deixar um odor agradável no ambiente e criar uma atmosfera limpa. Eles são conhecidos por conterem uma série de agentes químicos que servem para neutralizar odores desagradáveis e deixar um aroma melhor no local. Os ingredientes básicos colocados em desodorizadores são: formaldeído; destilados de petróleo; 1,4 diclorobenzeno e gases propelentes de aerossol. Recentemente, a segurança de muitos desses compostos tem sido investigada e alguns deles têm se mostrado tóxicos para humanos, além de poderem aumentar a incidência de uma série de problemas de saúde. Como alternativa, formulações naturais e menos prejudiciais a saúde têm sido usadas a fim de minimizar os riscos para os consumidores e para o meio ambiente.


Impacto ambiental


Estima-se que só nos Estados Unidos a indústria de fragrâncias ganhou 6 bilhões de dólares em 2012 e cerca de 1,7 bilhões desse faturamento estaria diretamente relacionado a vendas de desodorizadores, o que representou um crescimento financeiro de 600 milhões comparado com 2003. O recente aumento no uso desses produtos estimulou uma investigação mais abrangente acerca de sua segurança. Há muitas preocupações quanto ao uso de desodorizadores comerciais comuns, mas o principal problema reside nos tipos de substâncias químicas que eles contêm. As fórmulas mais perigosas são as que contém ftalatos (link em inglês), conhecidos por causar câncer, anormalidades hormonais, defeitos de nascimento e problemas reprodutivos. Um estudo feito pelo Conselho de Defesa de Recursos Naturais (Natural Resources Defense Council (NRDC))(link em inglês) encontrou que 12 de 14 desodorizadores domésticos comuns continham ftalatos e que nenhum deles havia essa substância como ingrediente da formulação, indicando que uma percentagem significante desses produtos que atualmente vêm sendo usados são uma ameaça à saúde pública. O Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (US National Institute of Health (NIH)) (link em inglês) descobriu que a exposição a um componente orgânico volátil chamado 1,4 diclorobenzeno, que é encontrado em muitas dessas formulações, pode ser prejudicial para os pulmões. Outro composto presente é o terpeno, o qual quando exposto ao ar produz formaldeído (link em inglês). Esse último é classificado como um carcinógeno humano pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (International Agency for Research on Cancer). Assim, a exposição a esses produtos químicos perigosos tem um efeito acumulativo no organismo e aumenta os riscos à saúde a curto e a longo prazo. A implementação do uso de desodorizantes ambientais mais saudáveis ou naturais que não contêm essas substâncias irá diminuir substancialmente os riscos às pessoas que se expõem a esses produtos.

Ftalatos tóxicos encontrados em desodorizadores

As substâncias abaixo foram encontradas em pelo menos uma das 14 formulações testadas pelo NRDC.

• Dietil ftalato (DEP): Associado a mudanças nos níveis hormonais e no desenvolvimento genital em humanos.

• Di-n-butil ftalato (DBP): Reconhecido pela toxicidade ao sistema reprodutor pelo National Toxicology Program and the State of California. Pode levar a mudanças no desenvolvimento genital.

• Di-isobutil ftalato (DIBP): Associado a mudanças no desenvolvimento genital masculino.

• Di-metil ftalato (DMP): Evidência tem mostrado toxicidade reprodutiva em estudos com animais (inconclusiva).

• Di-isohexil ftalato (DIHP): Limitado teste de toxicidade, sendo tóxico para o desenvolvimento e reprodução.


Dicas de Melhores Práticas


Melhore a ventilação- Bons sistemas de ventilação reduzem a necessidade de utilizar desodorizadores para mascarar odores e naturalmente eliminam cheiros desagradáveis. Esses produtos não podem substituir uma boa ventilação.

Minimize o uso de desodorizadores- Eles só mascaram os odores desagradáveis, mas não os removem. Deve-se evitar o uso deles e, quando for realmente necessário, utilizar o mínimo possível para reduzir a quantidade de substâncias perigosas no ar.

Use alternativas de aromatizadores naturais e seguros - Muitos produtos estão dispostos a oferecer alternativas saudáveis aos desodorizadores que estão no mercado. Velas orgânicas de soja e cera de abelha, potpourri natural, flores frescas ou ervas, óleos essenciais naturais, sprays de bombas não-aerossóis ecológicos e bicarbonato de sódio são alternativas seguras. Atualmente, as regulações do governo não requerem que os fabricantes listem os ingredientes da formulação ou que realizem testes de segurança e de danos à saúde. Empresas e consumidores devem estar atentos a isso e devem assim despender um tempo para investigar e encontrar produtos não tóxicos que são conhecidos por serem seguros. 

Use desodorizadores com baixa concentração de ftalato- Use aromatizadores conhecidos por ter baixos níveis de ftalato e outros compostos perigosos na sua formulação para reduzir os potenciais riscos à saúde. A maioria dos produtos não tem rótulos que informem aos consumidores sobre a presença de substâncias químicas tóxicas. Os compradores devem estar cientes de que a maioria deles contém pelo menos um nível baixo dessas substâncias perigosas e deve compreender que eles estão usando-os em seu próprio risco.


Políticas e Regulações


Atualmente, não é exigido aos fabricantes de desodorizadores de ambiente que revelem os compostos presentes nos seus produtos. O estudo do NRDC de 2007 (2007 NRDC study) (link em inglês) sobre essa mercadoria resultou em um requerimento (link em inglês) para a Agência de Proteção Ambiental (EPA) (Environmental Protection Agency) (link em inglês) e para a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo (CPSC)(Consumer Product Safety Commission) (link em inglês) para regular esses aromatizadores mais firmemente. O NRDC recomendou a CPSC banir o uso de ftalatos perigosos e toxinas que aparecem na Lista da Proposição 65 da Califórnia, do inglês “California Proposition 65”. Essa proposição protege as fontes de água potável do estado de serem contaminadas com produtos químicos conhecidos como causadores de câncer, defeitos de nascença ou outros problemas reprodutivos e exige que as empresas informem aos californianos sobre exposições a esses produtos químicos, tendo essas que colocar nos rótulos informações sobre os componentes perigosos contidos nos produtos. Nesse documento diversas substâncias químicas que estão presentes em produtos de consumo e podem prejudicar a saúde de seres humanos são listadas e divulgadas. Adicionalmente, a NRDC também recomendou que a EPA obrigasse os fabricantes a testarem e a submeterem os resultados da presença de ftalatos encontrados no produto, extensão da exposição humana a essas substâncias quando utilizado tal produto, bem como os efeitos à saúde por essa exposição como toxicidade, persistência, sensitização e outros efeitos pela inalação de substâncias químicas dos desodorizadores.

Em um artigo publicado em outubro de 2007, o presidente da CPSC, Chris Cathcart, rejeitou o requerimento do NRDC e declarou que as descobertas que o Conselho fez em seu estudo não eram “rigorosas e científicas” o suficiente para concluir com precisão que os produtos são perigosos para a saúde humana. “Os desodorizadores que estão no mercado são submetidos a testes extensivos para atender ou exceder os altos padrões e regulamentações estabelecidos pelas agências reguladoras do governo. As empresas realizam avaliações de segurança, incluindo revisões de ingredientes da formulação, exposição e avaliações de risco e testes em casa.” A EPA também negou o requerimento, mas pediu para os 7 maiores fabricantes voluntariamente apresentarem os componentes dos seus produtos, a sua concentração, função e a quantidade anual total utilizada. As respostas e resultados (link em inglês) submetidos pelos fabricantes à agência já estão disponíveis para o público.

Referências


Air Freshener Petition to the EPA. Environmental Protection Agency.  Retrieved March 20, 2009.

Hidden Hazards of Air Fresheners. Natural Resources Defense Council.  Retrieved March 20, 2009.

Indoor Air Pollutants and Toxic Materials. Center for Disease Control and Prevention.  Retrieved March 20, 2009.

CSPA Response to NRDC Study.  The Free Library.  Retrieved March 20, 2009.

Tradução realizada por: Caroline Matos Ribeiro

Link para a página em inglês:Air Fresheners

  • No labels